Presente, futuro ou ambos?

em

Cansaço. Após 11 dias de puro trabalho e não muito tempo para a mente, os objetivos, prazeres e lazer resolvi, chegando da agência, ler.

Pego meu livro e fico por 3 horas abastecendo minha taça de vinho, meu cinzeiro de bitucas, minha mente de lazer, conhecimento e pensamentos. Somente 3 horas.

O que percebo é que passamos a maior parte do nosso tempo nos desgastando para fornecer soluções profissionais, nos preocupando de verdade com os problemas dos outros e que, no meu caso, não são problemas pessoais mas sim de grandes corporações, que não sabemos ao certo quais às pessoas que estaremos “ajudando”.

Não tenho grandes problemas (ainda bem) com os quais me preocupar, porém tenho muitas coisas com as quais ocupar a mente. Tenho muitas ideias, muitos planos pessoais, curiosidades e vontades de aprendizado nos mais diversos assuntos e, nestes últimos 11 dias, basicamente, não dei bola para estes, pois não tive como. Mesmo.

Resumo da ópera: 13 horas/dia de trabalho, cabeça pesada, corpo cansado, dolorido, tonturas esporádicas, visões de pontos amarelos (?) vindos do nada.

STRESS.

Tudo devido ao emprego que quero tanto manter, através do ato de me preocupar com algo que não me atinge no nível pessoal e acabará no ‘dia seguinte’, mais do que com meus pensamentos, minhas situações e minha vida como um todo.

Estou sendo egoísta por pensar desta forma?

Acredito que todos nós trabalhadores temos algum tipo de conflito por passar dias e horas resolvendo problemas que, após as 18:00 (ou, muitas vezes, depois) tem nada a ver conosco, porém enquanto com “o crachá a postos” são questões de vida ou morte pelo fato de garantir nossos salários e nossas carreiras.

Durante minha leitura passei por um trecho que falava sobre viver o presente, pois nossas mentes estão em tempo integral se lamentando sobre o passado ou preocupadas com o futuro. OK. Concordo em partes. Meu presente é vivido para o futuro, pois se não, simplesmente faria como muitos que conheço: Faria nada. Ou faria somente, e não mais que somente, o que me traz lazer e prazer, certo?

O que nos faz abrir mão destes itens é obviamente a esperança através do comprometimento, que por certos períodos de tempo te faz esquecer que existem amigos, família, desejos, cerveja e travesseiro.

A pergunta que fica: Até que ponto realmente é válido abrir mão da sua vida presente pela sua vida futura?

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s